RESUMO

A utilização de modelos matemáticos para descrever o crescimento de vegetais possui uma larga aplicação na pesquisa agropecuária. Nesse tipo de pesquisa, dois problemas são freqüentes: encontrar o modelo que melhor se ajusta ao fenômeno biológico e identificar as curvas entre os tratamentos que sejam estatisticamente semelhantes. Assim, o presente trabalho teve por objetivos comparar a qualidade do ajuste de modelos de regressão não-linear e comparar as curvas provenientes desse melhor modelo em relação aos diferentes tratamentos. Para essa análise, foram utilizados os dados de um experimento instalado no arranjo fatorial 2x5, sob o delineamento em blocos casualizados. Os níveis dos fatores foram constituídos por duas cultivares de bananeira e cinco doses de um regulador de crescimento. A comparação das curvas de diferentes tratamentos foi realizada a partir da análise de agrupamento com o auxílio de três estatísticas que permitiam acessar o número ideal de grupos. Na avaliação das curvas de crescimento, o modelo logístico demonstrou-se superior. Na comparação dos tratamentos, verificou-se que o método da análise de agrupamento, com as modificações propostas, possibilitou detectar três grupos de tratamentos, assemelhando-se ao comportamento biológico.

Palavras-chave: Musa spp., análise de crescimento, modelos não lineares, análise de agrupamentos, modelo logístico.

Para acessar o trabalho completo, visite:http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782009000500012

Maia, E. ; Siqueira, D. L. ; Silva, F. F. ; Peternelli, L. A. ; Salomão, L. C. C. . Método de comparação de modelos de regressão não-lineares em bananeiras. Ciência Rural (UFSM. Impresso), v. 39, p. 1380-1386, 2009.