Wanderson Cleiton Schmidt Cavalheiro, Emanuel Fernando Maio de Souza, André de Paulo Evaristo, Anna Frida Hatsue Modro, João Fidelis Brito Junior

 

As agroflorestas na Amazônia são manejadas tradicionalmente pelos agricultores e normalmente apresentam-se muito diversificados, mesmo quando apresentam uma espécie de cultivo comercial. Deste modo, objetivou-se neste trabalho conhecer aspectos etnoecológicos do manejo de dois sistemas agroflorestais (SAF) da Zona da Mata Rondoniense. Para o estudo foram utilizadas abordagens participativas. Os sistemas são compostos por espécies frutíferas e essências florestais, sendo o cupuaçuzeiro, o paricá e a castanha-do-Brasil as espécies mais utilizadas na composição dos agroecossistemas. Os SAF são constituídos e manejados de forma tradicional e as atividades executadas manualmente. O aumento da produção e processamento dos produtos é indicado como fonte de aspirações pelo agricultor. Foram apresentados como indicadores para implantação do SAF a garantia da segurança alimentar e conservação do meio ambiente.

Para obter o trabalho, acese: http://www.aba-agroecologia.org.br/revistas/index.php/cad/article/view/18401